O Verme e a Estrela /Adriana Calcanhoto/

O verme e a estrela é um lindo poema do simbolista Pedro Kilkerry musicado por Adriana Calcanhoto para o album A fábrica do poema e conta com a especialíssima participação de Cid Campos. É um dos poucos poemas musicados cujo resultado ficou tão bom. Na realidade, todas as faixas desse cd são de altíssima qualidade, a exemplo de Inverno, Sudoeste, Metade, A minha música, Portrait of Gertrude…  Sem dúvida é um dos melhores trabalhos da Adriana!

Agora sabes que sou verme.
Agora, sei da tua luz.
Se não notei minha epiderme…
É, nunca estrela eu te supus
Mas, se cantar pudesse um verme,
Eu cantaria a tua luz!

E eras assim… Por que não deste
Um raio, brando, ao teu viver?
Não te lembrava. Azul-celeste
O céu, talvez, não pôde ser…
Mas, ora! enfim, por que não deste
Somente um raio ao teu viver?

Olho, examino-me a epiderme,
Olho e não vejo a tua luz!
Vamos que sou, talvez, um verme…
Estrela nunca eu te supus!
Olho, examino-me a epiderme…
Ceguei! ceguei da tua luz?

Escute a música aqui!

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em MusiPoema

2 Respostas para “O Verme e a Estrela /Adriana Calcanhoto/

  1. Elaine Maranhão

    A mais pura sinfonia das estrelas, redigido por uma outra estrela de igual quilate. parafraseando Olavo Bilac…..” Há amia, Há amai, amai para entendê-las por que só quem ama tem ouvidos capaz de ouvir estrelas” Saudades amiga.

  2. O poema é de uma beleza rara!Eu tive o prazer de ouvi-la cantar o poema aqui em Natal.Com a elegância que lhe é peculiar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s